REGULAMENTO GERAL 

 

I – DAS FINALIDADES 

Artigo 1º – A XV COPA SUCESU MINAS DE FUTEBOL SOCIETY, edição 2017, na categoria Adulto, no naipe Masculino, tem por finalidade congregar e ampliar o relacionamento entre os diversos colaboradores, seus parentes e amigos, das empresas associadas a Sucesu Minas através do Futebol Society, meio de lazer e prática sadia do esporte, organizada e gerenciada por uma Comissão Organizadora, composta por membros indicados pela presidência da Sucesu Minas, com a coordenação da FF7SMG – Federação de Futebol 7 Society de Minas Gerais, sendo conduzida por árbitros formados e regida pelo Código Desportivo da CF7 – Confederação de Futebol Sete do Brasil.

Parágrafo 1º – Entende-se por colaboradores das empresas associadas a Sucesu Minas, todas as pessoas registradas de forma física ou jurídica junto a empresa associada, bem como nos seus parceiros legalmente contratados.

Parágrafo 2º – A critério da Comissão Organizadora poderão ser convidadas a participar da Copa equipes de empresas não associadas à Sucesu Minas.

Parágrafo 3º – A Comissão Organizadora será presidida por um Coordenador Geral. Para esta edição da Copa foi indicado como Coordenador Geral o Sr. Ricardo Luiz de Freitas, Diretor da Sucesu Minas.

 

II – DO PERÍODO DE REALIZAÇÃO

Artigo 2º – A XV COPA SUCESU MINAS DE FUTEBOL SOCIETY será realizada em 4 (quatro) fases (Classificatória, Quartas de Final, Semifinal e Final), entre os meses Agosto, Setembro, Outubro e Novembro de 2017, começando com o Torneio Início no dia 26 (vinte e seis) de Agosto, a primeira rodada da fase classificatória no dia 02 (dois) de Setembro e a final no dia 03 (três) de Novembro.

Parágrafo 1º – Este regulamento, bem como a tabela oficial, será disponibilizado na área da Copa de Futebol no site da Sucesu Minas (sucesuminas.org.br/copa-sucesu) até 48 horas antes da realização dos jogos, sendo de responsabilidade das equipes e atletas a data e horário de seus jogos.

Parágrafo 2º – A cargo da Comissão Organizadora poderão ser marcados jogos em outras datas e horários.

III – DAS EQUIPES PARTICIPANTES

Artigo 3º – Cada equipe interessada em participar deverá ser inscrita no período de 01 (primeiro) de abril a 21 (vinte e um) de Agosto de 2017, através de formulário de inscrição devidamente preenchido, disponível na sede e na página da Copa (sucesuminas.org.br/copa-sucesu), obedecendo-se prazo e critérios estabelecidos por este regulamento, podendo uma mesma empresa inscrever mais de uma equipe.

Parágrafo 1º – Na ficha de inscrição deverá constar o nome completo, o número do documento de identidade e o e-mail particular de todos os atletas da equipe, bem como do Representante Oficial e do Técnico, estes últimos constar também os telefones celulares, observando os limites mínimos e máximos de atletas inscritos por equipe previstos no Artigo 5º. Ela deverá ser acompanhada de um documento oficial da empresa associada comprovando a relação de trabalho de cada atleta, de acordo com o Parágrafo 1º do Artigo 1º.

Parágrafo 2º – Cada equipe participante, no ato da sua inscrição, deverá contribuir com uma taxa de R$1.700,00 (hum mil e setecentos reais), se associada à Sucesu Minas, ou R$2.000,00 (dois mil reais), se não associada, para custear as despesas da Copa (locação dos campos, arbitragens, acompanhamento técnico, premiação, etc.), ficando vetada a participação de equipes que estiverem em débito. Em nenhuma hipótese esta taxa será devolvida, mesmo se houver desistência da equipe.

Parágrafo 3º – A equipe deverá ter um Representante Oficial, que ficará responsável por organizá-la, inscrevê-la no campeonato e representá-la junto a Comissão Organizadora. Esta pessoa tem obrigatoriamente que pertencer ao quadro de profissionais regularmente registrados da empresa de origem da equipe inscrita.

Artigo 4º – A equipe que for desclassificada por ato indisciplinar ou desistir/abandonar a competição, ou perder por WxO deverá pagar uma multa no valor de R$100,00 (cem reais) através de um cheque emitido pelo Representante Oficial da equipe, e o mesmo não poderá ser sustado sob pena de Processo Judicial.

Parágrafo 1º – A título de garantia do eventual pagamento da multa acima, a equipe deverá comparecer com um cheque caução, no ato da sua inscrição na Copa, no valor estipulado acima, que será devolvido ao final da Copa, se a equipe não se incluir nos atos previstos no Artigo acima.

Parágrafo 2º – Caso alguma equipe pague a referida multa citada no Artigo acima, o cheque será encaminhado a uma instituição carente, a ser determinada pela presidência da Sucesu Minas.

IV – DAS INSCRIÇÕES DE ATLETAS 

Artigo 5º – Cada equipe poderá inscrever no mínimo 10 (dez) e no máximo 15 (quinze) atletas, com idades acima de 16 (dezesseis) anos, podendo inscrever e atuar com quaisquer quantidades de atletas federados e ou profissionais.

Parágrafo 1º – Atletas de 16 (dezesseis) e 17 (dezessete) anos terão que apresentar, junto a Comissão Organizadora, uma autorização de participação assinada pelos pais (apenas uma assinatura) ou de um responsável judicialmente.

Artigo 6º – O atleta só poderá atuar por uma equipe durante a competição.

Artigo 7º – Não haverá cancelamento, substituição ou transferência de atletas após a inscrição da equipe, a não ser nos casos previstos nos parágrafos 1º, 2º e 3º deste Artigo.

Parágrafo 1º – Após a inscrição da equipe, até 24 (vinte e quatro) horas antes da primeira rodada da fase Classificatória da Copa, um atleta poderá ser trocado por outro, através de um e-mail do Representante Oficial da equipe enviado ao Coordenador Geral da Copa.

Parágrafo 2º – Até 24 (vinte e quatro) horas antes da última rodada da fase Classificatória da Copa poderão ser inscritos novos atletas, até o número máximo permitido por equipe em cada modalidade, através de um e-mail do Representante Oficial da equipe enviado ao Coordenador Geral da Copa, até 24 (vinte e quatro) horas antes do início da rodada que se quer que o atleta atue.

Parágrafo 3º – Até 24 (vinte e quatro) horas antes da última rodada da fase Classificatória da Copa um atleta poderá ser trocado por outro, através de um e-mail do Representante Oficial da equipe enviado ao Coordenador Geral da Copa, até 24 (vinte e quatro) horas antes do início da rodada que se quer que o atleta atue, somente se o atleta que estiver saindo se encaixar nas situações abaixo:

Se o atleta for colaborador PF ou PJ da empresa origem da equipe inscrita:

  1. Desligamento profissional para com a empresa.
  2. Transferência para outra unidade de negócio da empresa, fora da região metropolitana de Belo Horizonte.

Para qualquer atleta da equipe:

  1. Se lesionar gravemente, que impeça a prática esportiva, comprovada por um atestado médico que acompanhará o pedido de inscrição do novo atleta.

V – DAS PARTIDAS 

Artigo 8º – As partidas serão realizadas nos campos de grama sintética do Arena 7 Beach Club (Avenida Heráclito Mourão de Miranda, nº 907, bairro Castelo, Belo Horizonte, MG), com dimensões de 50m x 35m, cada um, que conta com amplos vestiários (masculino e feminino), sempre aos sábados, domingos e/ou feriados, a partir das 17:00 (dezessete) horas.

Parágrafo 1º – Somente o Árbitro, no local, ou um comunicado formal da Comissão Organizadora, poderá adiar uma partida.

Parágrafo 2º – O tempo de jogo será de 40 (quarenta) minutos, divididos em 2 (dois) tempos iguais com intervalo de 5 (cinco) minutos. Haverá tolerância de 10 minutos em cada jogo da rodada.

Parágrafo 3º – Caso uma equipe provoque um WxO (não se apresentar no campo de jogo até a tolerância máxima do horário marcado, estar com uniforme irregular ou sem o número mínimo de atletas), será declarada perdedora, pelo maior placar (em saldo de gols) que ela sofrer na fase de classificação, além da perda de 1 (um) ponto na classificação dentro da chave.

Parágrafo 4º – Cada equipe irá fazer no máximo 1 (uma) partida por dia.

Parágrafo 5º – Cada equipe terá direito a 1 (uma) parada técnica de 1 (um) minuto em cada tempo de jogo, para melhor orientação de seus atletas. O pedido de “tempo” deverá ser oficializado, ao árbitro da partida, pelo Técnico ou Capitão da equipe.

Parágrafo 6º – As condições para iniciar um jogo são: mínimo de 5 (cinco) e máximo de 7 (sete) atletas em campo (sendo que um deles deverá ser o goleiro), todos os atletas uniformizados e definidamente identificados (Artigo 9º).

Parágrafo 7º – Caso uma equipe fique reduzida a 3 (três) atletas em campo, incluindo o goleiro, o jogo será encerrado permanecendo o placar técnico, com os pontos sendo repassados a equipe adversária.

Artigo 9º – Toda equipe deverá apresentar antes de cada partida ao mesário:

  1. Uniformes iguais e numerados (camisas numeradas, calções e meiões esportivos).
  2. Documento de identidade, de acordo com a Ficha de Inscrição, de cada atleta presente à partida.
  3. Identificação do Capitão e do Técnico da equipe, sendo que para o primeiro é sugerido portar uma tarja identificativa.

Parágrafo 1º – Os documentos de identificação apresentados por cada atleta deverão ficar na mesa até o final da partida, quando serão devolvidos.

Parágrafo 2º – O atleta que não apresentar o documento de identidade só ganhará condição de jogo se autorizado pela Comissão Organizadora.

Parágrafo 3º – Compete ao Capitão e ao Técnico, zelarem pela disciplina de sua equipe, dando bons exemplos de conduta, respeito às regras, aos árbitros e à Comissão Organizadora.

Parágrafo 4º – No uniforme da equipe não poderá ter número de identificação e nem a tarja de Capitão feita de esparadrapo.

Parágrafo 5º – Somente poderão ficar no banco, além dos atletas reservas, o Representante Oficial e o Técnico, que deverão estar previamente inscritos na ficha de inscrição, sendo que este último será o responsável pela equipe.

VI – DA FORMA DE DISPUTA

Artigo 10º – A Copa será disputada conforme as normas abaixo.

Parágrafo 1ºPrimeira Fase (CLASSIFICATÓRIA) – As 15 (quinze) equipes serão divididas em 3 (três) chaves de 5 (cinco) equipes e jogarão entre si, em turno único, dentro de cada chave, classificando-se para a Segunda Fase, as equipes classificadas em 1º (primeiro) e 2º (segundo) lugares de cada chave e os dois melhores 3º (terceiro) lugares de todas as chaves, de acordo com os critérios estabelecidos no Artigo 11º, perfazendo um total de 8 (oito) equipes.  Segunda Fase (QUARTAS DE FINAL) – As 8 (oito) equipes classificadas da Primeira Fase jogarão em 4 (quatro) jogos eliminatórios, com os cruzamentos sendo feitos no modelo da Copa Libertadores, classificando-se para a Terceira Fase, as equipes vencedoras de cada jogo. Terceira Fase (SEMIFINAL) – As 4 (quatro) equipes classificadas da Segunda Fase jogarão em 2 (dois) jogos eliminatórios (ver tabela), classificando-se para a Quarta Fase, as equipes vencedoras de cada jogo. Quarta Fase (DECISÃO FINAL) – As 2 (duas) equipes classificadas da Terceira Fase, jogarão em jogo único, para decidir o título de CAMPEÃO. Na disputa do Terceiro Lugar da Copa as 2 (duas) equipes perdedoras da Terceira Fase jogarão em jogo único.

Parágrafo 2º – Para a definição dos jogos das quartas de final, haverá um sorteio para numeração das equipes de 1 a 8. Assim a equipe 1 jogará contra a equipe 8, a equipe 2 jogará contra a equipe 7, a equipe 3 jogará contra a equipe 6 e a equipe 4 jogará contra a equipe 5 (ver tabela de cruzamentos). O sorteio acontecerá na sede da Sucesu, em data e hora a ser informada para as equipes pela coordenação da Copa.

Artigo 11º – Os critérios de classificação durante a fase Classificatória serão:

  1. Maior número de pontos ganhos;
  2. Maior número de vitórias;
  3. Maior saldo de gols positivos;
  4. Ataque mais positivo;
  5. Pontuação Fair play elaborada pela FF7SMG;
  6. Confronto direto (somente entre duas equipes);
  7. Sorteio 

Parágrafo 1º – A partir da Segunda Fase, caso o jogo termine empatado no tempo normal, a equipe vencedora será conhecida através de cobrança de penalidades máximas em 3 (três) séries, persistindo o empate, as cobranças passarão a ser alternadas em apenas uma série até que seja conhecida a equipe vencedora.

Parágrafo 2º – A equipe vencedora de uma partida receberá 3 (três) pontos sendo que a equipe perdedora não receberá ponto algum. Jogos que terminarem empatados renderão a cada equipe 1 (ponto).

 

VII – DO TORNEIO INÍCIO 

Artigo 12º – Haverá, no dia 26 (vinte e seis) de Agosto de 2017, a partir das 17 hs, o Torneio Início que reunirá todas as equipes inscritas na Copa.

Parágrafo 1º – Cada jogo terá a duração de 10 minutos sem nenhum tempo técnico.

Parágrafo 2º – A forma de disputa será por sistema eliminatório (ver tabela), ou seja, a equipe vencedora seguirá na competição, e a equipe derrotada encerrará sua participação, a não ser que ela seja sorteada para continuar na competição.

Parágrafo 3º – Todos os jogos deverão ter um vencedor, ou seja, se um jogo terminar empatado a equipe vencedora será conhecida através de cobrança de 1 (uma) penalidade máxima para cada equipe, persistindo o empate, as cobranças continuarão até que seja conhecida a equipe vencedora.

Parágrafo 4º – A desclassificação da equipe por WxO nestes jogos só valerá para o Torneio Início e a equipe não sofrerá as penas previstas no Artigo 4º.

Parágrafo 5º – Os cartões aplicados durante estes jogos valerão somente para o Torneio Início e serão zerados ao se iniciar a fase de classificação da Copa.

Parágrafo 6º – Os campeões, vice e terceiro lugar receberão troféus.

Parágrafo 7º – Cada equipe participante deverá levar uma cesta básica no dia do Torneio Início, que será repassada a uma entidade filantrópica, a ser definida pela organização da Copa.

Parágrafo 8º – Cada equipe participante receberá 1(um) ponto de bonificação na fase de classificação da Copa.

Parágrafo 9º – A equipe campeã receberá, além da bonificação prevista no Parágrafo 8º, mais 1(um) ponto de bonificação na fase de classificação.

VIII – DA PREMIAÇÃO 

Artigo 13º – Ficam instituído os seguintes prêmios para ambas as modalidades:

1º colocado – Troféu e medalhas
2º colocado – Troféu e medalhas
3º colocado – Troféu e medalhas
Artilheiro(a) – Troféu
Goleiro(a) menos vazado – Troféu
Equipe Fair play (equipe mais disciplinada) – Troféu 

Parágrafo 1º – A premiação para o Goleiro menos vazado será para aquele que pertencer a uma das equipes que participarem da fase Semifinal. 

Parágrafo 2º – O critério para desempate na premiação de Artilheiro e Goleiro menos vazado será: o atleta que estiver na equipe com a melhor classificação final. Caso haja empate dentro da mesma equipe, o atleta de mais idade será o ganhador. 

Parágrafo 3º – A premiação para a Equipe Fair Play somente se dará entre as equipes que participarem da fase Semifinal.

Parágrafo 4º – O Torneio Início não será computado para determinação das premiações acima.

 

IX – DAS  PENALIDADES E PUNIÇÕES 

Artigo 14º – Ficam instituídas as seguintes penalidades para infrações disciplinares por parte de atletas, técnicos, massagistas ou qualquer outra pessoa registrada na equipe:

  1. 03 Cartões Amarelos – suspensão de 01 jogo.
  2. 01 Cartão Vermelho – suspensão de 01 jogo. 

Parágrafo 1º – Um cartão não anula os outros cartões. Ex.: um atleta que receber na mesma partida o 3º Cartão Amarelo e o 1º Cartão Vermelho, sendo todos da 1ª série, cumprirá 02 (dois) jogos de suspensão. Os atletas não serão punidos com o mesmo cartão no mesmo jogo.

Parágrafo 2º – As punições serão feitas de acordo com os relatórios dos oficiais de arbitragem (súmulas de jogo) ou de membros da FF7SMG ou da Sucesu Minas.

Parágrafo 3º – Todas as pessoas devidamente registradas na Copa são passíveis de punição estando ou não dentro de campo, basta estar em qualquer praça esportiva para se tornar passível de punição a qualquer momento.

 

X – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Artigo 15º – Toda equipe tem o direito de RECURSO contra irregularidades observadas durante a realização da competição, mediante um pagamento de uma taxa de R$100,00 (cem reais).

Parágrafo 1º – Somente o Representante Oficial da equipe poderá interpor RECURSO junto a Comissão organizadora.

Parágrafo 2º – Todo RECURSO deverá ser apresentado por escrito, até 48 (quarenta e oito) horas depois da realização da partida citada.

Parágrafo 3º – A Comissão Organizadora cabe o direito de exigir toda a documentação necessária para o julgamento das equipes dentro de um prazo estipulado. Caso o reclamante ou o reclamado não entregue esta documentação, será declarado improcedente.

Artigo 16º – Um atleta que se sentir agredido física ou moralmente durante os jogos, cujo árbitro ou os membros da FF7SMG ou da Sucesu Minas não tiverem tomado nenhuma providência, poderá interpelar um pedido especial junto a Comissão Organizadora, a qualquer momento, sem pagamento da taxa prevista no Artigo 15º, desde que comprove através testemunhas o ocorrido.

Artigo 17º – Toda comunicação com as equipes será feita através de comunicados numerados (Notas Oficiais) que serão publicados no site da FF7SMG e da Sucesu Minas, não cabendo às equipes alegação/recurso por desconhecimento destes comunicados.

Artigo 18º – As decisões da Comissão Organizadora serão irrevogáveis, não cabendo recurso a nenhum outro órgão esportivo ou de justiça comum.

Artigo 19º – A Comissão Organizadora não se responsabilizará por acidentes ocorridos com participantes da competição, ou por estes ocasionados a terceiros, antes, durante ou após as partidas, porém, não medirá esforços para amenizá-los.

Artigo 20ºCabe à Comissão Organizadora indicar quaisquer jogos para fotos, flashes ou transmissões de televisão, rádio ou qualquer outro tipo de veículo de comunicação e divulgação, não cabendo às equipes nenhum tipo de direito de arena.

Artigo 21º – As interpretações e casos omissos no presente regulamento serão resolvidos pela Comissão Organizadora, respeitando as leis que regem a modalidade.

Artigo 22º – Este regulamento parte do princípio de que todos os participantes são conhecedores das regras oficiais da Confederação de Futebol Sete do Brasil e, que, uma vez inscrita, aceitam e acatam todas as disposições deste regulamento.

Este regulamento foi discutido e aprovado no Congresso Técnico, realizado no auditório da sede da Sucesu Minas, no dia 21 (vinte e um) de Agosto de 2017, com a presença dos representantes das equipes participantes.

Belo Horizonte, 21 de Agosto de 2017
Ricardo Luiz de Freitas
Coordenador Geral
Membro da Comissão Organizadora da XV Copa Sucesu Minas de Futebol Society
Tel. (31)98469-6140 | ricardo@sucesumg.org.br

 


ANEXO I

DETALHES DAS REGRAS DE FUTEBOL SOCIETY

01 – TIRO E ARREMESSO DE META: Deverá ser cobrado pelo goleiro com as mãos, ou por qualquer jogador da equipe favorecida pelo mesmo, com o uso dos pés. Tendo 5 (cinco) segundos para ser colocado em jogo, ultrapassando este tempo limite, será lateral para a equipe contraria, na direção da intersecção das linhas frontal e lateral da area de meta do mesmo, além de falta pessoal que o atleta infrator.

02 – DEFESA DO GOLEIRO: Após fazer uma defesa firme, terá 5 (cinco) segundos para repassar a bola com as mãos para qualquer atleta de sua equipe, desde que este atleta não receba a mesma direta  do seu goleiro dentro da área de meta adversária; Caso o goleiro faça uma defesa parcial, poderá  repassar a bola com os pés para qualquer atleta de sua equipe, desde que este atleta não receba a mesma  direta  do seu goleiro dentro da área de meta adversária. O goleiro não poderá fazer nenhum lançamento dentro de sua própria área, tanto com os pés ou com as mãos, direto para o atleta de sua equipe dentro da área de meta adversária.

03 DEVOLUÇÃO PARA O GOLEIRO: Poderá devolver para o goleiro quantas vezes for necessário, mas o mesmo não poderá recebê-la com as mãos, a não ser que seja uma devolução de cabeça (que não seja forçada) e involuntária.

04 – LATERAL E ESCANTEIO: Deverão ser cobrados com as mãos, poderá ser cobrado para o goleiro desde que o mesmo não o receba com as mãos, e terá 5 (cinco) segundos para a cobrança do mesmo, ultrapassando este limite será revertido para a equipe adversária e falta pessoal do atleta infrator.

05 – TIRO LIVRE: Qualquer falta no Futebol 7 é tiro livre direto, que poderá ser cobrado em 2 (dois) lances até na 5ª (quiinta) falta, passando a ser Shoot Out após a 6ª (sexta) falta coletiva.

06 – FALTAS COLETIVAS, DISCIPLINARES E PESSOAIS: Cada equipe poderá cometer por período 5 (cinco) faltas coletivas com direito a barreira, a partir da 6ª (sexta) falta técnica será cobrado um Shoot Out na linha de saída da equipe infratora, ficando os demais atletas atrás da linha de saida da equipe favorecida, equivalente a 10 metros de distância da bola, podendo invadir a marcação após o apito do árbitro. As faltas disciplinares serão coletivas e individuais até a 5ª (quinta) falta, depois passará a ser apenas individual. As faltas pessoais serão apenas individuais. Todo atleta só poderá cometer 4 (quatro) faltas pessoais, sendo que na 5º (quinta) falta o mesmo deverá ser substituído, observando as possiveis punições dos cartões disciplinares, e não poderá retornar na partida ora disputada.

07 – CARTÕES DISCIPLINARES: O atleta que for advertido com Cartão Amarelo terá que ficar fora da partida por 2 (dois) minutos cronometrados, sendo substituido imediatamente por outro atleta da equipe infratora. O atleta que for advertido com o Cartão Vermelho deverá deixar o jogo pela zona de substituição, ficando a equipe penalizada com menos um atleta até 2 (dois) minutos cronometrados, retornando outro atleta, quando a bola estiver fora de jogo e com posse da equipe infratora.

08 – APLICAÇÃO DO CARRINHO: Será caracterizado quando o atleta utilizar os pés de forma deslizante com participação de outro atleta  e será considerada infração técnica e deverá ser punido  com cartão disciplinar.

09 – SUBSTITUIÇÃO DE ATLETAS: Não precisará parar o jogo para fazer a substituição e deverá ser feita na linha demarcatória de substituição.

10 – MÃO NA BOLA: Se o árbitro paralisar a partida para marcar uma infração de MÃO NA BOLA intencionalmente, o atleta deverá ser punido com um cartão disciplinar, porém se o arbitro paralisar a partida para marcar uma infração de BOLA NA MÃO, este não será advertido com cartão disciplinar, somente será marcada uma falta técnica.

11 – UNIFORMES DE ATLETAS: O atleta deverá estar bem uniformizado, com a camisa para dentro do calção, meiões levantados e uso constante da caneleira.

12 SHOOT OUT: Quando da cobrança do Shoot Out, a bola deverá ser colocada na linha de saída do campo de defesa da equipe infratora e todos os atletas, exceto o cobrador e o goleiro da equipe infratora, deverão estar a uma distancia de 10 metros, ou seja, deverão estar na linha de saída no campo de defesa da equipe beneficiada com a cobrança do Shoot Out. Após a autorização de cobrança pelo árbitro, o atleta favorecido deverá fazer a cobrança e  todos os atletas em jogo poderão correr em direção a bola e tentar tirar a mesma de posse do atleta que irá cobrar o Shoot Out.

13 – ATENDIMENTO MÉDICO: Todo atleta, com exceção do goleiro, ao ser atendido terá que ser substituído para o atendimento podendo retornar assim que a bola entrar em jogo.

14 – DISPUTA DE PENALIDADES MÁXIMAS: Um mesmo atleta só poderá cobrar uma nova penalidade, depois que todos os outros atletas que terminarem o jogo tiverem cobrado, incluindo o goleiro.